Bares e restaurantes terão de exigir comprovante de vacina em São Paulo, segundo prefeito

A regra foi anunciada nesta segunda-feira (23) pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) durante o início da vacinação de jovens com comorbidades, a partir for 12 anos, no Shopping Vila Olímpia, na zona sul da cidade.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) — Quem quiser entrar em ambientes fechados na capital paulista, a partir do próximo dia 30, terá de comprovar que tomou ao menos uma dose da vacina contra a Covid-19. A medida valerá, inclusive, para bares e restaurantes. A regra foi anunciada nesta segunda-feira (23) pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) durante o início da vacinação de jovens com comorbidades, a partir for 12 anos, no Shopping Vila Olímpia, na zona sul da cidade.

O secretário da Saúde, Edson Aparecido, explicou ao Agora que até sexta-feira (27) será lançado um aplicativo para comprovação de vacinação na porta de restaurantes e demais ambientes fechados.

“Quando liberar o aplicativo, é só se cadastrar no site da prefeitura, informando a unidade onde foi imunizado e a data. Após a conferência das informações, a pessoa fica autorizada a entrar nos ambientes”, disse.

Aparecido acrescentou que será preciso direcionar o celular para um QR Code no estabelecimento –que também precisará ter o aplicativo. A partir daí será informado se o cliente foi imunizado com ao menos uma dose da vacina contra o novo coronavírus.

“Caso não constar vacina, a pessoa terá de ser barrada. A Vigilância Sanitária irá fiscalizar os estabelecimentos e, caso alguém sem vacina esteja no local, uma multa será aplicada”, afirmou o Nunes, que disse ainda não ter os valores das punições. “Até sexta, estará tudo organizado.”

Neste fim de semana, o primeiro sem restrição de horário e capacidade de público, bares estavam lotados na capital, inclusive por causa do calor.

VACINAÇÃO

Desde quarta-feira passada (18), a capital paulista vacina adolescentes com deficiência permanente (física, sensorial ou intelectual) ou comorbidades, além de gestantes e puérperas.

O primeiro grupo tem 48 mil pessoas de 16 a 17 anos, segundo a secretaria, mas até sábado apenas 9.314 jovens dessa faixa etária haviam sido imunizados na cidade, representando 19,4% da meta. Entre os de 12 a 15 anos são esperados cerca de 93 mil jovens.

Fonte: FolhaPress