1 em cada 7 jovens pode sofrer transtorno mental por causa da pandemia; Secretária de Estado da Juventude, Rafaela Camaraense defende a abordagem do tema

Levantamento realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) aponta que um em cada sete jovens pode sofrer transtorno mental por causa da pandemia. O dado é preocupante, segundo a secretária de Estado da Juventude, Rafaela Camaraense, que defende a abordagem do tema, o debate constante e ações de cuidado com a saúde mental desse público. 
 
Neste Janeiro Branco, mês que chama atenção para o cuidado da saúde mental, a secretária informou que vem dialogando com a Secretaria de Saúde para realizar uma série de ações voltadas para juventude.
 
“Somos uma sociedade centrada no adulto, que não dar a atenção devida aos jovens. Precisamos ouvi-los de forma mais empática e sem julgamentos. Neste Janeiro Branco, convido você a fazer uma reflexão sobre os jovens paraibanos. É importante tratar o assunto com a seriedade que merece, pois não é preguiça e nem frescura, é um problema grave, que coloca em risco a vida de pessoas”, defendeu Rafaela.
 
Durante a pandemia de covid-19, metade dos jovens sentiu impactos na saúde mental, segundo estudo da Inteligência em Pesquisa e Consultoria. “Precisamos olhar para a juventude com mais empatia. Cuidar dos nossos jovens é cuidar de toda a sociedade”, observou a secretária.
 
Rafaela Camaraense afirma que as novas gerações poderão sentir o impacto da pandemia por anos. Isso porque os jovens tiveram que ficar longe do ambiente escolar, dos amigos e até de pessoas da família por muito tempo, elementos considerados fundamentais durante esse período de vida. “Muitos perderam pais, avós, parentes, amigos e conhecidos. Isso abala a cabeça de qualquer uma, ainda mais de um jovem que encontra-se em formação”, disse.

Assessoria